• rostos meninas
  • image01c

Casas de Zinco - Um património a valorizar

Para muitos o zinco apresenta-se como um material desprezível, de carácter precário e frágil - sinónimo de pobreza e exclusão social. Por outro lado, diriam os mais sabidos - quem dera se pudéssemos ouvir as histórias que cada uma destas chapas velhas, enferrujadas e carcomidas pelo tempo nos tem para contar.

casa-típica-bairro da Mafalala

Poeticamente falando, a sinuosidade deste material reflecte muitas das vivências e acontecimentos marcantes da época. E a ironia típica e sarcástica do tempo, facto que as transformam num verdadeiro alicerce da memória. Ali, bem no coração duma riqueza natural e paisagística está localizado o lugar de Repouso dos Peregrinos. Hoje um dos principais pontos turísticos da província de Mpumalanga, na Africa do Sul, e que assenta numa rota denominada “The Panorama” que tem como principais atracções: The Blyde River Canyon, The Three Rondawels and The Kruger National Park. Pilgrim’s Rest é uma cidade construída na segunda metade do século XIX no delírio da febre do ouro. Pilgrim’s foi uma das primeiras cidades do mundo, derivado da riqueza reluzente existente no seu subsolo, a beneficiar-se de energia eléctrica e dos avanços das telecomunicações, mesmo antes da majestosa Cidade de Londres. Por décadas, esta cidade serviu de acampamento residencial para várias mineradoras. Mas com o fim da exploração mineira e o advento do turismo, em 1986 Pilgrim’s Rest foi elevada a categoria de Património Cultural Provincial da África do Sul e em Maio de 2004 foi
adicionada como um dos potenciais candidatos a Património da Humanidade da UNESCO. Ao recuar no tempo vemos igualmente, no Maputo colonial, um crescimento resultante das transacções com as minas sul-africanas e casas com os mesmos designs e materiais – são casos disso bairros inteiros como a Mafalala, o Chamanculo, o Xipamanine, Minkadjuine para mencionar alguns. E por que não dizer a baixa da Cidade de Lourenço Marques durante a sua “infância”. Urge repensar em termos comparativos como este património pode ser útil às comunidades e que ferramentas legais são para incorporar de modo a rentabiliza-lo e valoriza-lo mais aqui em Moçambique.

Texto retirada da 13º edição CANIÇO - Newsletter da Associção IVERCA.

FaceBook  Twitter