• rostos meninas
  • image01c

Melhores meios para travar caça no Limpopo

A provisão de melhores meios de trabalho para a fiscalização do Parque Nacional do Limpopo (PNL) constitui uma das medidas que pode contribuir para um combate mais enérgico à caça furtiva naquela área de conservação localizada na provincia de Gaza.

Parco Nazionale del Limpopo Mozambico Credits Silvia Bettocchi 1
O sentimento foi expresso pelos formandos na cerimónia de encerramento de uma reciclagem anual, que abrangeu um universo de 24 fiscais no posto de fiscalização de Mapai, iniciada a 28 de Junho, durante a qual exigiram igualmente a melhoria de condições alimentares e de alojamento. Durante a reciclagem, os fiscais aprenderam entre várias matérias, novas técnicas e tácticas anti-furtivas, aplicação da nova legislação de protecção e conservação dos recursos naturais, uso de equipamento GPRS e de rádios de comunicação digital. Segundo um comunicado de imprensa do PNL, citado pela AIM, os formados exigiram ainda a melhoria dos kits de primeiros socorros, equipamentos de campo, introdução de sistemas de patentes, equilíbrio de género e aumento do tempo de reciclagem nos próximos cursos. Na sua intervenção, o administrador do Parque Nacional do Limpopo, António Abacar, disse haver consciência sobre todas as necessidades apresentadas pelos trabalhadores e existe um trabalho em curso para resolver as várias situações que afligem os trabalhadores.

“Já temos o aval do doador para a aquisição de novo equipamento do campo e estamos a trabalhar com a Administração Nacional das Áreas de Conservação (ANAC) para sanar outros aspectos aqui apresentados”, disse Abacar.

A fonte disse ainda estar em processo a construção de um posto de fiscalização de Macavene, bem como a instalação de um sistema de comunicação digital nos pontos estratégicos do parque.
O administrador disse igualmente estar na fase de concursos, a nível da ANAC, o processo que vai culminar com a identificação de empresas que vão fornecer ração melhorada, viaturas e um barco para patrulhas junto a albufeira. Ocupando uma área de 1,2 milhão de hectares e com uma população animal nativa cerca de 116 espécies de répteis, 505 aves e 147 espécies de mamíferos, o PNL possui 203 trabalhadores, dos quais mais de 75 por cento afectos ao programa que vela pela fiscalização dos recursos florestais e faunísticos.

In, Jornal de Notícias - 19/8/2015

 

FaceBook  Twitter